Make your own free website on Tripod.com

A Procedência do Espírito Santo

By Adilson de Souza

Com acréscimos de Ennis Meier

(Revista Adventista - Fevereiro, 2006, pág. 12)

 

Gostaria de saber o que significa, no original grego de João 15:26, o verbo que foi traduzido "proceder" na versão que utilizamos, a Almeida? Dissidentes afirmam que a tradução correta é "vir de dentro", e que, nesse caso, o Espírito Santo não é a terceira pessoa da Trindade, mas algo que sai do interior de Deus, como Seu fôlego, isso é verdade?

Não, não é verdade! Diz o texto em apreço: "Quando, porem, vier o Consolador, que vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dEle procede, esse dará testemunho de Mim." Não é apenas a Almeida que verte o texto assim. Com uma ou outra pequena variação, praticamente as demais versões portuguesas o fazem, bem como outras para outros idiomas.

 

Ø      Nosso Comentário

O Dr. José Carlos Ramos, autor do artigo em referência, afirma que o verbo "proceder" utilizado na versão Almeida não é vir de dentro. Diz também que: "Não é apenas a Almeida que verte o texto assim. Com uma ou outra pequena variação, praticamente as demais versões portuguesas o fazem, bem como outras para outros idiomas".

Primeiramente, o que nos chama atenção é que segundo o "doutor em divindade" José Carlos Ramos, praticamente todas as traduções tanto para o português como para outros idiomas utilizam-se do verbo proceder para explicarem a origem do Espírito Santo. No entanto, segundo José Carlos Ramos, o verbo proceder não pode ser entendido como sair de dentro.

 

Ø      Revista Adventista

O verbo grego ai empregado é ekporeúomai, corretamente traduzido "proceder" em nossas Bíblias.

Os dissidentes Ricardo Nicotra *1 e Jairo Carvalho *2, como exemplo, presumem que este verbo, significa sair, ou partir, ou vir de dentro de, do interior de. ("Eu e o Pai, somos Um", pág. 35; "A Divindade", pág. 114). Não importa onde copiaram esta idéia (talvez do parecer de um partidário de algum ministério independente norte-americano ou europeu); de qualquer forma, ela expõe um dedução apressada e sem fundamento.

NOTAS No Tempo do Fim: *1 e 2  Uma pedra (rocha) no sapato do "Dr" Carlos Ramos (...da IASD)!

OBS: De onde será que o "Dr" copia as SUAS idéias para publicar em sua revista?

 

Ø      Nosso Comentário

Com base no que o Dr. José Carlos Ramos expressou acima, a respeito de Ricardo Nicotra e Jairo carvalho, dá para termos uma idéia de como "doutor em divindade" se acha superior aos demais irmãos.

Talvez seja porque eles, diferentemente do Dr. Rodrigo Pereira da Silva, seu companheiro na galeria dos "doutores em divindade"' não possuem doutorado na Pontifícia Universidade Católica de Roma.

Interessante é que no passado, qualquer relação com a Igreja Católica era considerada uma abominação, hoje, a atual IASD, forma seus pastores na sede da prostituta, a Mãe das meretrizes (Apocalipse 17:5).

Veja o que escreveu Ellen White a este respeito:

É uma igreja apóstata a que diminui a distância entre si própria e o papado”. Signs of the Times, 19 de fevereiro de 1894.

“Quando Cristo viu no povo judaico uma nação divorciada de Deus, viu também uma professa igreja cristã unida ao mundo e ao papado”. The Kress Collection, p. 153.

 

Revista Adventista

O verbo tem um sentido amplo. Quando empregado sem referência ao ponto de partida do movimento que ele expressa, significa simplesmente sair, encaminhar-se, conduzir-se, movimentar-se, aparecer, espalhar, difundir-se, correr, etc.. Que o verbo sair, mesmo em nosso idioma, não significa apenas se deslocar de dentro para fora, basta uma olhada num bom dicionário; e se assim é em português, muito mais no grego. 

 

Ø      Nosso Comentário

O Doutor José Carlos Ramos, nos textos acima, afirma que o verbo proceder tem um sentido amplo, que não significa simplesmente sair. Apresenta então uma lista de verbos que também podem ser entendidos como proceder.

Façamos então uma aplicação destes verbos opcionais e vejamos se o sentido destes é diferente do sentido de sair. Usaremos para tanto o Dicionário Michaelis.

VERBO

DICIONÁRIO

CONCLUSÃO I

CONCLUSÃO II

Sair

Ir de dentro para fora.

Só pode ir para fora quem está dentro.

O Espírito Santo está dentro do Pai.

Encaminhar-se

Dirigir-se a algum lugar.

Para dirigir-se a algum lugar, é necessário que parta de algum lugar.

O Espírito Santo parte do Pai.

Conduzir-se

Transportar de um lugar para outro.

O transporte sempre se dá, tendo uma origem e um destino. 

A origem do Espírito Santo é o Pai, o destino são os fiéis.

Movimentar-se

Dar movimento ou animação.

Tudo que se movimenta tem origem em um determinado lugar.

O Espírito Santo tem origem no Pai.

 Aparecer

Comparecer em algum lugar.

Tudo que comparece em algum lugar, teve origem em outro lugar.

O Espírito Santo tem origem no Pai.

 Espalhar

 

Dispersar-se ou desunir-se.

 Tudo que esta disperso, trito Santo  gem no Pai..Jo-se o dicionlgo. loja, apartamento, escritonum bom dicion, encaminhar-se, conduzereve origem ou estava unido a algo.

O Espírito Santo que foi derramado sobre os apóstolos (Atos 2:33) teve origem no Pai e estava unido ao Pai. 

 Difundir-se

 Espalhar

Tudo que é espalhado, no passado esteve unido.

O Espírito Santo, antes de ser espalhado para os fiéis está unido ao Pai. 

Correr

Escoar-se

Tudo que escoa, escoa-se de algo.

O Espírito Santo escoa-se do Pai até os fiéis.

Como pode ser constatado acima, mesmo utilizando-se os verbos opcionais, apresentados pelo Dr. José Carlos Ramos, o sentido não muda. O Espírito Santo sempre esta vinculado ao Pai.

Na seqüência, logo baixo, José Carlos Ramos apresenta dois exemplos para provar sua tese:

 

Ø      Revista Adventista

Exemplos: Lucas 3:7 fala de multidões que "saiam para serem batizadas" (saiam de onde?); Atos 9:28 informa que, estando Paulo em Jerusalém, entrava e saia com toda a liberdade - entrava e saia sem sair de Jerusalém, isto é, ele se movimentava livremente na cidade.

  

Ø      Nosso Comentário

Com referência a Lucas 3:7, temos que concordar que o texto não cita de onde as multidões saiam. No entanto, é obvio que elas saiam de algum lugar (cidades, povoados, colinas, montanhas, campos, etc.) para deslocarem-se ao local onde João Batista batizava. Com toda certeza as pessoas não moravam no rio onde João Batista realizava os batismos. Sendo assim, elas saiam ou procediam de algum lugar distinto do lugar onde eram realizados os batismos.

O texto de Atos 9:28, afirma que "Estando Paulo em Jerusalém entrava e saia com toda liberdade." Quando o texto afirma que Paulo estava em Jerusalém não é difícil de deduzir que Paulo estava estabelecido na cidade de Jerusalém, e quando o texto afirma que ele "entrava e saia com toda da liberdade", é que ele não tinha nenhum problema para entrar e sair da cidade de Jerusalém.

Quantas pessoas hoje, moram em uma cidade e trabalham em outra? Só porque uma pessoa sai de sua cidade e vai trabalhar em outra cidade não indica que ela não está mais estabelecida naquela cidade. Da mesma forma com Paulo, ele estava estabelecido em Jerusalém mais tinha a liberdade para entrar e sair da cidade a hora que quisesse.

 

Ø      Revista Adventista

Quando o emprego de ekporeúomai é feito com referência ao ponto de partida do movimento, o verbo encerra também o sentido de vir, ir, partir, prosseguir, proceder, etc. W. E. Vine afirma que, dentro do sentido de locomoção específica, o verbo aponta "expressivamente a um curso definido" mais do que poderia ser expresso por "sair" (Dicionário Vine, pág. 853).

 

Ø      Nosso Comentário

Como demonstramos no quadro anterior, realmente o verbo tem varias aplicações, no entanto, todas estão vinculadas a um ponto de partida definido, o Pai.

Analisemos os exemplos apresentados acima pelo Dr. José Carlos Ramos:

Vir

O Espírito Santo vem do Pai.

Ir   

O Espírito Santo é enviado pelo Pai, então ele vai.

Partir 

O Espírito Santo parte do Pai.

Prosseguir 

O Espírito Santo prossegue a partir do Pai.

Proceder 

O Espírito Santo procede do Pai.

         

          Revista Adventista

Como exemplo, confira Atos 25:4, que registra o propósito de Festo de partir para Cesaréia. Às vezes, o sentido de procedência de ekporeúomai está implícito; o texto de atos acima é um exemplo disso. Quando, todavia, o ponto de origem do movimento expresso pelo verbo é explícito (que é o que ocorre em João 15:26), o sentido de procedência (isto é, de onde se locomover) é dependente da preposição que se liga a esse ponto de origem. 

 

Ø      Nosso Comentário

Para que possamos ter um melhor entendimento do exemplo apresentado acima se faz necessário lermos o texto completo:

"Tendo, pois, Festo assumido o governo da província, três dias depois, subiu de Cesaréia para Jerusalém; e, logo, os principais sacerdotes e os maiorais dos judeus lhe apresentaram queixa contra Paulo e lhe solicitavam, pedindo como favor, em detrimento de Paulo, que o mandasse vir a Jerusalém, armando eles cilada para o matarem na estrada. Festo, porém, respondeu achar-se Paulo detido em Cesaréia; e que ele mesmo, muito em breve, partiria para lá." - Atos 25:1-4.

O texto apresentado, diz que o Festo, ao assumir o governo da província, subiu de Cesaréia para Jerusalém. Sendo assim, quando Festo apresentou o propósito de "partir" (ekporeúomai) para Cesaréia, ele encontrava-se em Jerusalém. Sendo assim, o ponto de partida de Festo esta explicito, ou seja, o ponto de partida de Festo é a cidade de Jerusalém.

Com base nas informações adicionais apresentadas no texto de Atos 25:1-4, após a partida de Festo de Jerusalém, poder-se-ia usar de forma correta o verbo "proceder" (ekporeúomai) ao referir-nos ao ponto de partida de Festo, que foi a cidade Jerusalém. Ou seja, ao Festo chegar em Cesaréia, poderíamos dizer que ele era procedente de Jerusalém, o seu ponto de origem. 

Da mesma forma, o texto de João 15:26, define a origem do Espírito Santo, pois afirma que o Espírito é enviado da parte do Pai, sendo assim, o Pai é o ponto de origem.

"Quando, porém, vier o Consolador, que eu vos enviarei da parte do Pai, o Espírito da verdade, que dele procede, esse dará testemunho de mim."

Os textos abaixo reforçam o que acabamos de expor, pois afirmam que é o Pai quem dá o Espírito Santo, ficando confirmado que o Pai é o ponto de origem do Espírito Santo:

      

"Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas dádivas aos vossos filhos, quanto mais o Pai celestial dará o Espírito Santo àqueles que lho pedirem?" - Lucas 11;13.

 

"E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos." - Joel 2:28 (Atos 2:17).

 

Ø      Revista Adventista

Três exemplos alegados por Nicotra (Eu e o pai somos Um, pág. 35), com as referidas preposições aqui italizadas, são como seguem:

"Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que procede da boca de Deus." (Mat 4:4);

(2)   "O que sai do homem, isso é o que contamina" (Marc 7:20); e

(3)   "Então vi sair da boca do dragão, da boca da besta..." (Apoc 16:13).

O original de (3) não consigna verbo algum traduzido "sair", e está apenas subentendido, razão pela qual o desconsideraremos. Observamos, então que em (1), a preposição é dia, cujo sentido principal é através de; qualquer palavra, no exercício da comunicação verbal, é geralmente emitida através da boca, daí procedendo. Alegar que antes que uma palavra seja dita ela se formulou na mente (embora de vez em quando palavras são proferidas ou escritas por ai sem que ao menos se pense nelas), e que, portanto, significa "sair de dentro", é impor ao verbo um sentido que ele, por si só, não indica. É a preposição que se liga ao ponto de onde parte o movimento que poderá dar esse significado.

 

Ø      Nosso Comentário

Cremos que, mesmo o verbo estando apenas subentendido no texto de número 3, apresentado por Ricardo Nicotra, é importante salientar que os três espíritos imundos, semelhantes a rãs, saem (ekpoeúomai) da boca do falso profeta, ou seja, os três espíritos imundos têm origem no falso profeta.

 

"Então, vi sair da boca do dragão, da boca da besta e da boca do falso profeta três espíritos imundos semelhantes a rãs."

Diante do que é apresentado no texto acima, fica óbvio que os espíritos imundos "procedem" do falso profeta, estando Ricardo Nicotra correto ao usar este texto como exemplo, uma vez que o verbo usado neste texto é o mesmo usado em João 15:26, ou seja, o verbo proceder (ekpoeúomai).

Com referência ao texto (1), o Dr. José Carlos Ramos, afirma que a preposição utilizada é "dia", cujo sentido principal é "através de". Desta forma, alega que as palavras não saem da boca, mas que são emitidas através da boca.

Mais uma vez os argumentos do Dr. José Carlos Ramos, são falhos, pois as palavras se formam nas cordas vocais e depois saem (ekpoeúomai) da boca. Diante deste fato, temos só nos resta dizer que mais uma vez Ricardo Nicrotra está correto ao utilizar este texto como exemplo de que o verbo usado (ekpoeúomai) tem o sentido de sair de dentro.

 

Ø      Revista Adventista

No exemplo (2) acima, a preposição é ek, "de, desde", e pode envolver o sentido "do interior", como emprego de ésõten, "de dentro", em marcos 7:21 e 23, confirma. Dizemos que pode, porque nem sempre é isto o que ocorre, ainda que seja empregada a preposição ek.

Exemplos: "Do trono (ek toü thorónou) saem (ekporeúontai) relâmpagos, vozes trovões..." (Apoc 4:5), e "rio da água da vida... que sai (ekporeuómenon) do trono (ek toü thrónou) de Deus". (22:1) não significam necessariamente que os relâmpagos, vozes, trovões e o rio procedem do interior do trono; indicam apenas que saem de onde ele está.     

Assim, a preposição é importante para se estabelecer o ponto de origem do movimento expresso por ekporeúomai.  

 

Ø      Nosso Comentário

Primeiramente é bom salientar que o próprio Dr. José Carlos Ramos admite que Ricardo Nicotra está correto ao utilizar o verbo proceder (ekporeúomai) no exemplo (2). Afirma que pode haver a possibilidade de outros sentidos para o verbo, mas não afirma que o exemplo apresentado por Nicotra esteja errado.

Para complicar um pouco mais, o "Doutor em divindade" apresenta o exemplo dos relâmpagos, vozes, trovões e rio da vida que de acordo com o relato bíblico saem do trono de Deus. Mais uma vez apesar de não querer, tem que admitir que existe a possibilidade de os relâmpagos, vozes, trovões e rio da vida saírem do próprio trono de Deus.

Não conformado com esta possibilidade, deixa-se levar pela imaginação e procura desviar a atenção do leitor para uma possibilidade totalmente fora do relato bíblico, ou seja, procura induzir o leitor a pensar que quando a Bíblia fala que os relâmpagos, as vozes, os trovões e o rio da vida saem do trono de Deus, na verdade não esta falando que saem do trono, mas do local onde o trono de Deus se encontra.

 

Ø      Revista Adventista

Em João 15:26, a preposição é pará, significando também "de, desde", mas com a acepção de posição, colocação, etc. (como em nossa palavra paralelo). Segundo Robertson, uma das maiores autoridades no estudo do Koinê, o grego popular do Novo testamento, pará significa "ao lado de", "junto com" (A grammar of the Greek New Testament inthe Light of Histrical Research, pág. 613; a quem possa interessar, as páginas 553--649 dessa obra trazem uma abordagem exaustiva das preposições gregas). Em outras palavras, o Espírito Santo procede de onde o Pai está, da Sua companhia, não do interior dEle; isso foi o que Jesus afirmou. - Jose Carlos Ramos, diretor dos cursos de pós-graduação do Salt, em Engenheiro Coelho, Sp.

 

Ø      Nosso Comentário

O Dr. José Carlos Ramos afirma que a preposição pará, também significa "de, desde", ou seja, que existe outras possibilidades além das apresentadas por ele.

O pior de tudo é que José Carlos Ramos não conseguindo provar que Ricardo Nicotra estava errado ao afirmar que o Espírito Santo parte do Pai, passa a colocar palavras na boca do próprio Cristo, pois afirma: "o Espírito Santo procede de onde o Pai está, da Sua companhia, não do interior dEle; isso foi o que Jesus afirmou."

Onde esta escrito que Cristo afirmou isto? Só na Bíblia dos "Doutores em Divindade" da IASD.

Infelizmente "de vez em quando palavras são proferidas ou escritas por aí sem que ao menos se pense nelas".

Segundo os "doutores em divindade" da IASD, Deus é uma unidade de três pessoas co-eternas: Deus, o Eterno Pai, Deus, o Eterno Filho e Deus o Espírito Santo (manual da IASD, págs. 9 e 10).

Se isto é verdade então como entender o texto abaixo, onde Ellen White afirma que devemos aplicar-nos para que o Espírito que habita em Cristo habite em nós?

"Devemos aplicar-nos a copiar o Modelo, para que o Espírito que habita em Cristo habite em nós." (Meditações 1962, pág. 178).

 

Como Deus, o Eterno Filho, a "segunda pessoa da trindade", pode ter habitando em si outra pessoa, o Deus Espírito Santo, a "terceira pessoa" da mesma trindade?    

Se o Espírito Santo realmente é Deus, porque Ellen White afirmou que ele procede do Unigênito Filho de Deus? Poderia um Deus proceder (sair) de outro Deus?

Vale salientar que neste caso não necessitamos recorrer ao verbo grego para entendermos o que Ellen White quis dizer. Ela quis dizer exatamente o que esta escrito abaixo, ou seja, que o Espírito Santo saí de Cristo, o Unigênito Filho de Deus.

O Espírito Santo, que procede do unigênito Filho de Deus, une o instrumento humano - corpo, alma e espírito - à perfeita natureza divino-humana de Cristo.” (Mensagens Escolhidas Vol. 1 Pág. 251).

 

Se o espírito no que diz respeito às criaturas vivas é o fôlego de vida ou a energia vital que provém de Deus e os matem vivos, e jamais deve ser entendido como uma entidade (um ser) inteligente que pode viver independentemente, por que quando a mesma palavra aparece relacionada ao nome de Deus (Espírito de Deus ou Espírito Santo), deve ser entendida como um “ser” pessoal fora de Deus, ou seja, a terceira pessoa da trindade?

Por que não pode ser feita a mesma analogia e definir a palavra “espírito de Deus” como o poder (a glória, o fôlego, a energia vital) de Deus em ação?

Veja no texto abaixo, que Ellen White afirma que o Espírito Santo é o fôlego que é soprado por Cristo sobre seus discípulos:

"Jesus está esperando para soprar o fôlego em todos seus discípulos, e lhes dá a inspiração do seu santificado espírito, e transfundir a sua influência vital para o seu povo... Jesus está buscando impressionar neles o pensamento que dando o Seu Espírito Santo. Ele está dando a eles a glória que o Pai lhe deu, para que Ele e o seu povo possam ser um em Deus.". The Signs of the Times, 10-03-1892. (Sinais dos Tempos – Ellen G. White)

Não estarão os "doutores em divindade" da IASD impondo ao texto bíblico um sentido que ele, por si só não indica?

Não estarão sendo incoerentes ao dizer que a Bíblia ensina que o espírito (ruach/pneuma) não é uma outra pessoa fora dela mesma, e quando a mesma palavra (espírito) está relacionada com o nome de Deus, é um outro ser, a "terceira pessoa da trindade"?

Como podemos perceber ao analisarmos este artigo, o inimigo tem fortes aliados infiltrados no acampamento do povo de Deus. Através de um sistema de filosofia intelectual, o inimigo tem conseguido enganar a muitos. No entanto, isto não deve nos surpreender, pos Ellen White advertiu-nos de que isto iria acontecer na Igreja Adventista do Sétimo Dia.

Diz ela:

Tem havido muitos traidores disfarçados no acampamento, e Cristo conhece a cada um deles. Deus tem sido desonrado por súditos desleais que, caso Cristo estivesse hoje na terra em forma humana, bradariam: ‘Crucifica-O, crucifica-O’. “Homens que poderiam ter permanecido na clara luz, realizando corajoso serviço como ministros do evangelho e médicos missionários, têm estado aceitando falsas teorias e sofismas; que se origi­naram com o pai das mentiras, todavia eles não reconhecem que mudaram." - Testimonies, Série B, # 7, pp. 13-16 (20 de novembro de 1905).

“Os princípios da verdade que Deus na sua sabedoria tem dado à igreja remanescente seriam descartados. Nossa religião seria mudada, Os princípios fundamentais que tem sustentado a obra nos últimos 50 anos seriam tidos como erro. Uma nova organização seria estabelecida. Livros da nova ordem seriam escritos. Um sistema de filosofia intelectual seria introduzido.” (Selected Messages, Book 1, pages 204,205).

“Satanás estabeleceu seus planos para solapar a nossa fé na história da causa e obra de Deus. Estou pro­fundamente ansiosa ao escrever isto. Satanás está agindo com homens em posições de destaque para eliminar os fundamentos de nossa fé. Permitiremos que isso seja feito, irmãos? Review and Herald, vol. 19 de novembro de 1903.

Que Deus nos de sabedoria e nos fortaleça para permanecermos firmes e não sermos enganados pelos agentes de satanás!

Adilson de Souza

http://averdadeacimadetudo.tripod.com

 

O Dr. José Carlos Ramos já soube que o Ennis Meier andou fuçando as bibliotecas e arquivos da Conferência Geral, e o que ele descobriu fez a teologia da IASD simplesmente entrar em colapso ? 

Por acaso adiantaria ao Dr. José Carlos Ramos tentar salvar a situação com a semântica de palavras, sem responder a perguntas cruciais, encontradas abaixo ?



A questão não se prende em querer descobrir quem é o Espírito Santo. (ou de onde veio)


Se a Bíblia não revela claramente, não é comparando o significado de palavras de um dicionário de 10 mil palavras, com outro de 200 mil palavras (grego/inglês) que vamos chegar a alguma conclusão.
Também não é com uma gramática que foi feita mais de mil anos depois que a lingua morreu, que a verdade vai aparecer !

A Bíblia diz em linguagem clara e direta, que o Espírito Santo é Deus igual ao Pai ? 
Não.
Sem ir ao mérito da originalidade de Mateus 28:19, o fato de mencionar o Pai, o Filho, e o Espírito Santo, promove automaticamente Jesus e o o Espírito Santo à categoria de um Deus ? 
Não.

O "doutor em divindade" José Carlos Ramos deve começar por questões bem mais simples, como quem escreveu a lei de Deus ?   Foi um, foram 2, ou foram 3 ?  Eram 3 os dedos que escreveram a lei de Deus ?  (Êxodo 31:18)

"Não terás outros deuses diantes de MIM" tem exceções ?  É em sentido figurado igual ao quarto mandamento ?

Onde está escrito que o primeiro mandamento é figurado e o quarto mandamento é literal ?


Que o Dr. José Carlos Ramos explique primeiro, por que Deus revelou a "verdade" à Igreja Católica 1700 antes, e deixou a IASD vagando nas trevas por mais de um século ?  (para essa resposta não é preciso saber grego)

Também não depende de dicionário, ou saber grego,
explicar por que os Year Books nos dias de Ellen White, não apresentavam a doutrina da Trindade. (melhor, negavam a doutrina da Trindade)

Não depende de dicionário e nem é preciso saber grego para dar uma explicação,
por que mudaram a doutrina da igreja Adventista mais de meio século depois que Ellen White morreu, já que fizeram dela a guia espiritual da igreja, e lhe deram um título divino: "Espírito de Profecia". (que no Apocalipse se refere a Jesus)

"Os pioneiros eram semi-arianos"?  Por acaso, a mudança oficial não teria sido feita nos dias de vida de Ennis Meier, em 1980 em Dallas, Texas?  ... e a administração vinha mentindo para mais de 10 milhões de adventistas !

Ennis Meier

www.adventistas.ws

VEJA TAMBÉM:

A Lição da Escola Sabatina Oficial do 2º trimestre: O Espírito Santo Respondida e Comentada

 

RETORNAR