Make your own free website on Tripod.com

Citação do livro “O Desejado de Todas as Nações” - A TERCEIRA PESSOA DA DIVINDADE

 

 

No livro “O Desejado de Todas as Nações”, que é a tradução do original em inglês “Desire of Ages”, vemos a seguinte afirmação:

O pecado poderia ser resistido e vencido somente através da poderosa operação da Terceira Pessoa da Trindade, a qual viria não como energia modificada, mas na plenitude do divino poder.” Desire of Ages, 671

O termo “Terceira Pessoa da Trindade” é colocado como sendo a tradução do texto ¨Third Person of Godhead¨, que encontra-se no livro original “The Desire of Ages”.  Em primeiro lugar, o termo “Godhead”, que esta no idioma original, significa “Divindade” (Trindade é a tradução da palavra em ingles “Trinity”). Portanto, o termo Divindade nada tem que ver com o termo “Godhead”, do idioma original. Também temos que, no idioma inglês, idioma no qual o livro original foi escrito, a preposição “of” que se encontra neste termo, significa “from”, que quer dizer “a partir da”. Assim, a tradução correta para o português seria “Terceira Pessoa a partir da Divindade”.  Existe também um outro problema neste termo “Terceira Pessoa da Trindade”, que aparece no livro “O Desejado de Todas as Nações”. O termo do livro em inglês, “Third Person of Godhead”, aparece com as letras iniciais “t” e “p” minúsculas, da forma que se segue: “third person of Godhead”, mostrando que Ellen G. White não se estava referindo a um terceiro Deus. As iniciais minúsculas foram trocadas por iniciais maiúsculas na revisão de 1940 do livro “O Desejado de Todas as Nações”.

 A citação do livro “Desire of Ages”, de 1898, foi repetida na revista Review and Herald em 1904, e mostra o termo “third person” também com iniciais minúsculas:

 Sin could be resisted and overcome only through the mighty agency of the third person of the Godhead, who would come with no modified energy, but in the fulness of divine power.

Advent Review and Sabbath Herald, May 19, 1904, paragraph 3

 Tradução:

 “O pecado poderia se resistido e vencido somente através da poderosa operação da terceira pessoa a partir da Divindade, a qual viria não com energia modificada, mas na plenitude do poder divino.

 Percebemos então que o texto do livro “O Desejado de Todas a Nações” foi mudado, ou adulterado, para dar a entender que Ellen G. White cria em uma Trindade.

 Agora, compare o texto que se encontra no livro “Desire of Ages” (O Desejado de Todas a Nações) atual, com o texto original de 1898, publicado em 1904:

 “Desire of Ages”, versão original:

 poderosa operação da terceira pessoa a partir da Divindade,

 “O Desejado de Todas as Nações”: atual, adulterado:

 poderosa operação da Terceira Pessoa da Trindade,

 O mesmo termo, “third person of Godhead” aparece com as letras “t” e “p” minúsculas em “The Faith I Live By, page 52, paragraph 6”, “Advent Review and Sabbath Herald, November 19, 1908, paragraph 5”, e “Special Testimonies for Ministers and Workers. -- No. 10, page 25, paragraph 2”.

Outros textos que datam do tempo em que Ellen G. White ainda estava viva, também apresentam o termo “third person” escrito em letras iniciais “t” e “p” minúsculas:

“The Signs of the Times, December 1, 1898, paragraph 2”, “The Watchman, November 28, 1905, paragraph 2”,   “The Upward Look, page 51, paragraph 3”,

O termo “Third Person” apresentando letras iniciais “T” e “P” maiúsculas aparece apenas nas obras revisadas ou compiladas após a morte de Ellen G. White. Percebemos então que houve uma manipulação nos textos de Ellen G. White, apos a sua morte, durante anos, para que os membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia fossem levados a crer que ela cria em uma Trindade, quando isto em verdade nunca aconteceu. Quando buscamos saber quem é a “terceira pessoa a partir da Divindade que vem na plenitude do poder divino” que Ellen G. White cita no texto do livro “O Desejado de Todas as Nações”, encontramos a resposta em outros testemunhos:

 1 – Satanás um dia foi a “terceira pessoa a partir da Divindade”:

 “Lúcifer, no Céu, antes de sua rebelião foi um elevado e exaltado anjo, o primeiro em honra depois do amado Filho de Deus.” A Verdade Sobre os Anjos, pág. 27

 “Entre os habitantes do Céu, excluindo-se o próprio Cristo, foi Satanás durante algum tempo o mais honrado de Deus, o mais elevado em poder e glória.” A Verdade Sobre os Anjos, pág. 28

2 – Após a queda de Satanás, perdeu o seu posto e o anjo Gabriel passou a ser a “terceira pessoa a partir da divindade”:

 “Na crise suprema, quando coração e alma se rompem sob o fardo do pecado, Gabriel e enviado para fortalecer o divino Sofredor, animando-O a prosseguir no caminho manchado de sangue. Signs of the Times, 9 de dezembro de 1897

Nessa horrível crise, quando tudo estava em jogo, quando o misterioso cálice tremia nas mãos do sofredor, abriu-se o Céu, surgiu uma luz por entre a tempestuosa treva na hora da crise, e o poderoso anjo que se acha na presença de Deus, ocupando a posição da qual Satanás caíra, veio para junto de Cristo.” A Verdade Sobre os Anjos, pág. 195.

3 – Gabriel “se acha na presença de Deus”. Ele é um dos dois ungidos apresentados na visão de Zacarias, que estão na presença de Deus, e vem para a Terra “na plenitude do poder divino”:

 “"Falei mais e disse-lhe: Que são as duas oliveiras à direita do castiçal e à sua esquerda? E, falando-lhe outra vez, disse: Que são aqueles dois raminhos de oliveira que estão junto aos dois tubos de ouro e que vertem de si ouro? E ele me respondeu: ... São os dois ungidos, que estão diante do Senhor de toda a Terra." Zac. 4:11-14.

Os ungidos que estão diante do Senhor de toda Terra mantêm a posição uma vez outorgada a Satanás como querubim cobridor. Por intermédio dos seres santos que circundam Seu trono, o Senhor mantém constante comunicação com os habitantes da Terra. Review and Herald, 20 de julho de 1897.A Verdade Sobre os Anjos, págs. 150, 151

 “Nesta visão as duas oliveiras que estão diante de Deus são representadas como vertendo de si o dourado óleo através de tubos para o receptáculo do castiçal. Daqui se alimentam as lâmpadas do santuário, para que possam produzir luz clara e contínua. Assim, dos ungidos que se acham na presença de Deus, a plenitude da luz divina do amor e poder é repartida a Seu povo, para que este possa com outros repartir luz, gozo e refrigério. Os que assim são enriquecidos devem enriquecer a outros com os tesouros do amor de Deus.” Profetas e Reis, pág. 594

 Percebemos portanto que Ellen G. White, quando mencionou o termo “third person of Godhead” (terceira pessoa a partir da Divindade) no livro “Desire of Ages” (O Desejado de Todas as Nações), estava se referindo ao espírito de Cristo (oferecido pela terceira pessoa a partir da Divindade - Gabriel). Esta mesma referencia ao espírito de Cristo e sua obra como “espirito ministrador Santo” em favor dos homens, de acordo com a luz do texto de Hebreus 1:13, 14, foi feita no testemunho “Special Testimonies for Ministers and Workers, Series A, #10, págs. 25, 26, 29, 30.”:

 “O mal estava se acumulando por séculos, e não poderia restringido e resistido apenas pelo grande poder do espírito Santo, a terceira pessoa a partir da Divindade, que viria não com energia modificada, mas na plenitude do poder divino... o espírito de Deus se alojaria em seus corações. Ele convenceria do pecado... O espírito divino revela seu trabalho no coração humano... Permitam Cristo trabalhar pelo Seu espírito Santo, acordá-los como que da morte e levá-los consigo. Deixem ele empregar suas habilidades... Estão aqueles com o coração preparado como barcos escolhidos para o trabalho e que podem receber o óleo dourado o qual através dos mensageiros celestiais, representados pelas duas oliveiras, será derramado nos tubos dourados para encher as lâmpadas?” Special Testimonies for Ministers and Workers, Series A, #10, págs. 25, 26, 29, 30. (tradução para o idioma português)

 Esta citação apresentada acima, extraída de “Testimonies Series A” foi modificada, ou adulterada, primeiramente na edição de 1923, e esta adulteração foi mantida nas versões posteriores do livro “Testimonies to Ministers and Gospel Workers” (Testemunhos para Ministros), página 392. Nesta citação o termo “third person”, que foi originalmente escrito com letras iniciais minúsculas, foi modificado para “Third Person” (letras iniciais maiúsculas), com o mesmo objetivo pelo qual foram feitas todas as mudanças nos outros testemunhos que vimos nesta material – apoiar a idéia falsa de que Ellen G. White teria crido em uma Trindade. O texto de “Special Testimonies” que apresentamos acima é apresentado na versão atual do livro “Testemunhos para Ministros”, no idioma português, da seguinte forma:

 “O mal estava se acumulando por séculos, e não poderia restringido e resistido apenas pelo grande poder do espírito Santo, a terceira pessoa da Trindade, que viria não com energia modificada, mas na plenitude do poder divino... o espírito de Deus se alojaria em seus corações. Ele convenceria do pecado... O espírito divino revela seu trabalho no coração humano... Permitam Cristo trabalhar pelo Seu espírito Santo, acordá-los como que da morte e levá-los consigo. Deixem ele empregar suas habilidades... Estão aqueles com o coração preparado como barcos escolhidos para o trabalho e que podem receber o óleo dourado o qual através dos mensageiros celestiais, representados pelas duas oliveiras, será derramado nos tubos dourados para encher as lâmpadas?” Special Testimonies for Ministers and Workers, Series A, #10, págs. 25, 26, 29, 30. (tradução para o idioma português)

 Agora, compare o texto que se encontra no testemunho original com o texto mudado, ou adulterado, que aparece na versão atual do livro “Testemunhos para Ministros”:

 

“Special Testimonies for Ministers and Workers, Series A, #10, págs. 25, 26, 29, 30”, versao original:

 espírito Santo, a terceira pessoa a partir da Divindade

“Testemunhos para Ministros, pág. 392”: atual, adulterado:

espírito Santo, a terceira pessoa da Trindade

 Conclusão:

 ALGUÉM INTENCIONALMENTE MODIFICOU E MANIPULOU OS TEXTOS DE ELLEN G. WHITE PARA DAR A ENTENDER QUE ELA TERIA CRIDO NA DOUTRINA DA TRINDADE. ESTAMOS DENUNCIANDO ISTO PARA QUE ESTAS PESSOAS, SE ESTIVEREM VIVAS, SE ARREPENDAM, E PARA QUE NOSSOS IRMÃOS ADVENTISTAS SINCEROS PERCEBAM QUE NÓS FOMOS ENGANADOS.

 Os texto analisado, comumente usados para “provar” que Ellen G. White teria crido na Trindade, quando comparados com os manuscritos originais e os seus respectivos contextos, deixam evidente que ela não estava de forma alguma apoiando uma crença na Trindade quando os escreveu. Pelas provas aqui apresentadas, verificamos que Ellen G. White nunca creu na Trindade. Ao contrário, ela concordava com seu marido, James (Tiago) White, que morreu não crendo na Trindade. O próprio fato de que pessoas no decorrer da história manipularem os textos por ela escritos, após a sua morte, para fazer parecer que ela teria crido na Trindade quando viva, evidenciam que ela não cria na Trindade. Se você, irmão, na sua sinceridade, ainda possui duvidas quanto a isto, leia um texto que Jesus a inspirou a escrever:

Impedido por Sua humanidade, Cristo não poderia estar em todos os lugares pessoalmente; então foi para benefício deles (os discípulos) que Ele deveria deixa-la, ir para o Pai, e enviar o espírito Santo para ser seu sucessor na terra. O espírito Santo é Ele mesmo, despojado da personalidade humana e independente dela. Ele Se representaria como estando presente em todos os lugares por Seu espírito, como Onipresente. Mas o Consolador, o espírito Santo, a quem o Pai enviará em Meu nome, ele vos ensinará todas as coisas, e vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito (João 14:26). “Mas digo-vos uma verdade: Convém que Eu vá, porque se não fosse, o Consolador não viria a vós; mas se eu for, vo-lo enviarei.” (João 16:7). Manuscript Releases Volume Fourteen, Page 23, 24

Ellen G. White previu o ômega da apostasia, que seria muito pior do que o Alfa, encabeçado pelo Dr. Kellogs. Hoje vemos claramente porque o ômega seria de natureza muito pior. Foram feitas adulterações nos textos de Ellen G. White durante décadas, para dar aos membros uma falsa impressão de que ela teria crido em uma Trindade, e estabelecer esta doutrina falsa, este vinho de Babilônia, a principal doutrina da igreja católica, dentro do corpo de doutrinas da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Após todas estas adulterações, utilizam os textos que foram anteriormente modificados e estão contidos nestes livros para dizer que a Trindade é a doutrina da igreja, e que esta apoiada pelos testemunhos. Esquecem-se que a Bíblia demonstra claramente que crer em um outro deus, o espírito Santo, diferente do Pai Eterno, caracteriza-se como pecado de idolatria. (“Não terás outros deuses diante de Mim”) O espírito Santo, sendo a glória de Deus Pai dada a Jesus Cristo e por Ele comunicada a nós através de Seus anjos, é o mais importante dom que necessitamos como meio de santificação, mas nem por isso é um deus. A adoração, segundo a Bíblia, é devida apenas e tão somente ao Deus Único e Eterno, e a Seu Filho Jesus Cristo  (Apocalipse 5:13; João 10:30). 

 Gentileza do irmão Milton do bereanos@adventistas-bereanos.com.br

 

RETORNAR