Make your own free website on Tripod.com

DE VOLTA AO LAMAÇAL

FUGINDO DA SIMPLICIDADE DO EVANGELHO E DE VOLTA AO LAMAÇAL

Mas temo que, assim como a serpente enganou a Eva com a sua astúcia, assim também sejam de alguma sorte corrompidos os vossos entendimentos e se apartem da simplicidade e da pureza que há em Cristo”. (II Cor 11:03).

Deste modo sobreveio-lhes o que diz este provérbio verdadeiro; Volta o cão ao seu vômito, e a porca lavada volta a revolver-se no lamaçal.” (II Pedro 02:22).

 

Irmãos, Depois de havermos conhecido a verdade, para que voltarmos a defender o que não tem um CLARO assim diz o Senhor? Para que buscarmos na filosofia e na moderna “teologia”, explicações filosóficas e conceitual, modificando o significado das palavras para defesa de nossos argumentos, mesmo que contrários ao que está escrito na Bíblia? Adiante, um pequeno estudo sobre alguns pontos em que muitos irmãos tem regredido, e até defendido pontos contrários ao que está na Bíblia.

 

1 – QUANTO A QUESTÃO DO DÍZIMO

Muito já foi dito em diversos sites, inclusive o irmão Paulo Gomes do Nascimento http://www.adventistas.com/biz/casa_do_tesouro/index.htm) deixa bem claro que o dízimo não é obrigação para os cristãos, e, inclusive, nenhum defensor do dízimo na dispensação cristã pode ou conseguiu encontrar um único verso no Novo Testamento que justifique a cobrança e o pagamento obrigatório e dízimos para os cristãos.

Erroneamente se tem usado Malaquias para defesa do dízimo como doutrina para os cristãos, mas a mensagem de Malaquias era para os sacerdotes (vide Malaquias 02:01).

 

Infelizmente, muitos irmãos, após descobrir a verdade sobre o dízimo (veja http://www.adventistas.us/downloads/nova_apostila_dizimo.doc) temerosos do que lhes possa sobrevir, voltam a lama de seguir cerimônias extintas pelo Senhor Jesus com seu sacrifício de expiação na cruz.

Quanto à manutenção da pregação do evangelho eterno, sim, devemos contribuir, mas não por obrigação ou com medo de sermos castigados. Se não podemos pregar, devemos sim, auxiliar os que pregam o evangelho puro de Cristo, dando-lhes o apoio financeiro necessário, mas jamais por medo do ‘devorador’ ou quaisquer outros motivos, e mais, considerando que devemos dar com alegria, auxiliando os necessitados de nossa congregação bem como os que pregam a palavra.

“Cada um contribua conforme propôs no coração”, e, mesmo que este tem como contexto a oferta para os irmãos pobres de Jerusalém, os que pregam o evangelho necessitam de apoio, de recursos para pregarem. Devemos ser gratos e ofertantes para o reino de Deus.

 

2 – QUANTO A QUESTÃO DUM SUPOSTO JUÍZO DE INVESTIGAÇÃO, E A ENTRADA DE JESUS NO SANTÍSSIMO EM 1844.

Conforme a palavra do Eterno, está escrito o seguinte: "Tendo pois, irmãos, ousadia para entrarmos no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus, pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do véu, isto é, da sua carne." (Hebreus 10:19,20) Tomo emprestada uma afirmação do irmão Ricardo Nicotra, que diz: “O sacrifício de Cristo nos abre um caminho através do véu até a presença de Deus (shekkinah), no Santíssimo. A oferta de Cristo (descrita em Hebreus 10:14) possibilitou a realização de um pacto (Hebreus 10:16). E neste pacto o Senhor nos promete que não mais se lembraria de nossos pecados (Hebreus 10:17) jogando por terra a idéia de que os pecados confessados e perdoados seria trazidos a tona num suposto juízo de investigação iniciado em 1844.” Com os textos bíblico fica muito mais fácil compreender:

Hebreus 10:

14 Pois com uma só oferta tem aperfeiçoado para sempre os que estão sendo santificados.

15 E o espírito Santo também no-lo testifica, porque depois de haver dito:

16 Este é o pacto que farei com eles depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, e as escreverei em seu entendimento;

acrescenta:

17 E não me lembrarei mais de seus pecados e de suas iniqüidades.

18 Ora, onde há remissão destes, não há mais oferta pelo pecado.

19 Tendo pois, irmãos, ousadia para entrarmos no santíssimo lugar, pelo sangue de Jesus,

20 pelo caminho que ele nos inaugurou, caminho novo e vivo, através do

véu, isto é, da sua carne,

21 e tendo um grande sacerdote sobre a casa de Deus,

22 cheguemo-nos com verdadeiro coração, em inteira certeza de fé; tendo o coração purificado da má consciência, e o corpo lavado com água limpa, este caminho que Cristo inaugurou, foi quando, após sua morte e ressurreição, entrou no Santíssimo lugar, uma vez por todas,

Hebreus 09:12 – “e não pelo sangue de bodes e novilhos, mas por seu próprio sangue, entrou uma vez por todas no santíssimo lugar, havendo obtido uma eterna redenção.”

E, se apresentou ao pai (João 20:17) uma única vez ao contrário dos sacerdotes que se apresentavam muitas vezes os mesmos sacrifícios.

Hebreus 10:

11 Ora, todo sacerdote se apresenta dia após dia, ministrando e oferecendo muitas vezes os mesmos sacrifícios, que nunca podem tirar pecados;

12 mas este, havendo oferecido um único sacrifício pelos pecados, assentou-se para sempre à direita de Deus,

13 daí por diante esperando, até que os seus inimigos sejam postos por escabelo de seus pés.

Ou seja, Jesus se ofereceu uma ÚNICA VEZ (Hebreus 10:12), ENTROU UMA VEZ POR TODAS NO SANTÍSSIMO LUGAR (Hebreus 01:03; 09:12), E, SE ASSENTOU PARA SEMPRE A DIREITA DE DEUS, O ETERNO (Heb 10:12), ATÉ O DIA E HORA QUE SE LEVANTARÁ PARA EXECUTAR O JUÍZO DE DEUS.(Daniel 12:01).

Qualquer outro ensinamento, mesmo repleto de filosofias e cálculos, e com textos tirados do contextos, é contrário à simplicidade e pureza do evangelho de Cristo (II Cor 11:03).

Dizer que Cristo entrou no Santíssimo em 1844 (contrariando Hebreus 09:12) e que oferece seu sangue cada vez que lhe pedimos perdão por nossas faltas (contrariando Hebreus 10:12), e dizer que Ele fica oferecendo a si mesmo muitas vezes (contrariando Hebreus 10:11 e 12), é falar contra a palavra de Deus, contra seu Cristo, que uma vez por todas por meio de sua carne, conquistou eterna redenção (Hebreus 11:19,20).

Uma única vez Cristo se ofereceu, e uma única vez entrou no santíssimo, quando de sua ressurreição, e se apresentou diante do pai. Uma única vez se assentou, até que seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés. (Hebreus 10:12,13; 08:01; 01:03).

Jesus está assentado à direita do Pai (Apoc 03:21), e, no tempo designado por seu Pai (Mateus 24:36; Atos 01:07) se levantará e executará o Juízo (Daniel 12:01).

Mesmo que se faça o malabarismo mais complicado que seja, buscando explicar que em 1844 Cristo ‘entrou’ no santíssimo lugar, tal malabarismo filosófico e contextual, confronta diretamente as palavras do Livro de Hebreus que afirma que Cristo se apresentou a Deus no santíssimo lugar e que já havia conquistado eterna redenção, e que não precisa se oferecer muitas vezes como os sacerdotes faziam. O livro de Hebreus não é profecia, mas um relato do que ocorreu no céu, no santíssimo lugar, no santuário de Deus, onde o pecado e nem o homem ou Satanás pode profanar, quando o sacrifício expiatório de Cristo foi aceito por Deus, o Pai.

Usarei a seguir as palavras do irmão Elpídio, no contexto da purificação e reconciliação com Cristo:

Efésios 2:13 “Mas, agora, em Cristo Jesus , vós, que antes estáveis longe, fostes aproximados pelo sangue de Cristo.” Colossenses 1:20 “...e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus”.

Isto significa mais uma vez que o sangue não contaminava o santuário, mas o purificava. Se isto é uma verdade, então as citações de que o santuário era contaminado pelo sangue, que fazia a transferência dos pecados para o santuário, esta totalmente em desacordo com o que diz a palavra de Deus, esta totalmente equivocada e nós devemos rever os nossos conceitos de purificação do santuário.

Hebreus 9:22 “Com efeito, quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e, sem derramamento de sangue, não há remissão.”

1 João 1:7 “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.”

Observe queridos irmãos, a citação de João e de que o sangue nos purifica de TODO pecado. Desta forma, isto nos mostra que o sangue de Jesus derramado uma única vez, é suficiente para apagar todos os nossos pecados tanto os cometidos no passado quanto aqueles que possivelmente sejam cometidos no futuro. Obviamente se nós lançarmos mão deste precioso sangue por meio da fé. “

Quando aceitarmos que o sacrifício de Cristo foi completo, pela fé, fé lógica e sem malabarismos filosóficos ou conceituais ou textuais, e que Cristo está assentado à direita do Pai, aguardando para se levantar na hora designada pelo pai, e, no tempo certo designado por seu Pai e para Seu propósito (Mateus 24:36; Atos 01:07) e executar o Juízo (Daniel 12:01), certamente ficaremos livres da falsa crença de que exista um suposto juízo ou de que o Santuário Celestial, fora contaminado de qualquer maneira que seja.

 

3 – QUANTO À MORARMOS NO CÉU. Conforme a palavra do Eterno, está escrito o seguinte:

Os céus são os céus do Senhor; mas a terra deu-a Ele, aos filhos dos homens”. (Salmo 115:16).

O falso ensino de que iremos morar nos céus, remonta a Ninrode, que arquitetou a construção de uma torre para alcançar os céus e foi frustrado por Deus (Gênesis 10:8-10;11:1-8)... Inspirado em Lúcifer, que queria morar na morada no Altíssimo (Isaías 14:14)

A Bíblia repetidas vezes diz que os mansos herdarão a Terra e os ímpios dela serão desarraigados (Mat 5:5; Sal 37:3, 9-11, 18-20, 22, 29, 34; 10: 16; 52:5; Prov 2:21,22; 10:30).

Na vinda de Jesus, os habitantes dentre os homens que sobreviverem à grande destruição, converter-se-ão e buscarão ao Senhor. As promessas a Abraão implicam num reino aqui na terra (Rom 4:13; Gen 12:1-3,7;13:14-17) e é isto que os gentios convertidos, igualmente herdarão (Gal 3:29).

O céu é a morada do Eterno (Salmo 115:16), que se mudará para a Terra, quando de sua vinda com o cordeiro e a noiva, a nova Jerusalém (Apoc 21:02,09).

Os que não aceitaram o sacrifício único de Cristo, para remissão de seus pecados, serão levados pela destruição, e somente os justos restarão.

“Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam, senão quando veio o dilúvio e os levou a todos....” (Mateus 24:38,39).

E então, por que queremos ainda sermos levados? Firmemos no eterno, para também não sermos levados pelo vento de doutrina que diz que iremos morar no céu, apesar da Bíblia jamais dizer que moraremos lá. (Favor Leia (Mat 5:5; Sal 37:3, 9-11, 18-20, 22, 29, 34; 10: 16; 52:5; Prov 2:21,22; 10:30).

 

4 – QUANTO À VIDA DE SANTIDADE, SEM PECAR, AQUI NA TERRA .

Muitos afirmam que é impossível ao homem viver sem pecar. Esta foi a afirmativa de Satanás de que o homem não podia obedecer à Lei de Deus.

Vejamos o que diz a Bíblia:

Todo o que permanece nele não vive pecando; todo o que vive pecando não o viu nem o conhece. Filhinhos, ninguém vos engane; quem pratica a justiça é justo, assim como ele é justo; quem comete pecado é do Diabo; porque o Diabo peca desde o princípio. Para isto o Filho de Deus se manifestou: para destruir as obras do Diabo. Aquele que é nascido de Deus não vive pecando; porque a semente de Deus permanece nele, e não pode continuar no pecado, porque é nascido de Deus.” I João 03:06-09 “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca.” (I João 05:18)

“Sede santos...” (I Pedro 01:16), fomos chamados para sermos ‘santos’ (I Cor 01:02) e Cristo nos santifica (João 17:17,19) e não mais viveremos no pecado, ou pecando, ou desejando pecar ou cometendo iniqüidade (I João 03:06-09).

Por que muitos irmãos ainda afirmam que não podem viver sem pecar? Por que ainda estamos agarrando o pecado, como se fosse coisa que devêssemos nos aferrar?

“Tudo posso naquele que me fortalece”. Tudo podemos por meio de Cristo, inclusive sermos santos e santificados a cada dia.

A promessa de Deus é: “Mas fiel é o Senhor, o qual vos confirmará e guardará do maligno.” (II Tess 03:03) “Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o

guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca.” (I João 05:18).

Afinal de contas, podemos ou não viver sem pecar? Sozinhos não podemos, mas com a ajuda do Cordeiro, vivendo espiritualmente em nosso templo, nosso corpo, podemos com toda certeza dizer: O Senhor está comigo, afaste de mim quem ama a falsidade...

Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não vive pecando; antes o guarda aquele que nasceu de Deus, e o Maligno não lhe toca.” (I João 05:18)

E então irmão, reconhece que pode viver sem pecar, neste mundo, a exemplo de Cristo (João 13:15)? Ou aceita o que lhe dizem e volta ao primeiro estado (II Pedro 02:22)?

 

5 – QUANTO À NATUREZA HUMANA, PÓS-QUEDA DE CRISTO.

Muitos afirmam que Cristo não pecou porque tinha duas naturezas, divina e humana e que a divina o impedia de pecar. Outros afirmam que Jesus tinha a natureza humana de Adão antes da queda....

A Bíblia é clara em afirmar de Cristo:

Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus, o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz.” (Filipenses 02:05-08).

Pelo que convinha que em tudo fosse feito semelhante a seus irmãos, para se tornar um sumo sacerdote misericordioso e fiel nas coisas concernentes a Deus, a fim de fazer propiciação pelos pecados do povo”. (Heb. 2:17.).

Porquanto o que era impossível à lei, visto que se achava fraca pela carne, Deus enviando o seu próprio Filho em semelhança da carne do pecado, e por causa do pecado, na carne condenou o pecado.” (Rom 08:03)

O pecado foi condenado ‘na carne’, não por um semi-deus que tinha duas naturezas ou estava em vantagem para com o homem comum (Heb 02:17). Jesus, homem, mortal, carnal, igual a qualquer outro homem (Fil 02:05-08), venceu o pecado na carne, mas por que estava ligado ao pai, pela fé, comungando com o pai. Essa ligação, da carne com o espírito do Pai, é que deu a Jesus poder para vencer, na carne, o pecado. Jesus nos prometeu que se tivermos ligados à Ele e ao Pai, também venceremos, na carne, o pecado. Carne esta santificada por Seu sangue e pela comunhão com Ele e com seu Pai (I João 01:03)

E ainda há aqueles que afirmam que Cristo venceu por que era Deus, e que se não o fosse seu= sacrifício não seria perfeito? Jesus se esvaziou, tornou carne, viveu em carne, sentiu as dores e as tentações da carne, mas, unicamente por estar ligado ao espírito do Pai, venceu ‘na carne’ o pecado. Ele quer que também sejamos mais que vencedores por meio dEle (Rom 08:37).

 “Mas em todas estas coisas somos mais que vencedores, por aquele que nos amou.” Romanos 08:37

Em todas as coisas somos mais que vencedores:

a) Não devemos temer as maldições lançadas contra os sacerdotes de Malaquias 02:01; 03:08-10;

b) Não necessitamos temer um suposto juízo de investigação, a começar 1800 anos depois de Cristo ter sito aceito pelo pai e ter adentrado ao Santíssimo lugar e se assentado à direita do Pai;

c) Devemos nos contentar com terra, que será feito nova para nossa habitação, e que Deus e o Cordeiro habitará conosco, na Sua santa cidade que será estabelecida neste planeta reformado e feito novo;

d) Podemos, e mais, Devemos nos santificar nesta vida, pois sem  a santificação (vida santa, sem pecados), estaremos perdidos (Hebreus 12:14); reconhecendo que Cristo, em carne como a nossa, foi santo e venceu o pecado, e o condenou, na carne, não como um

semi-deus ou com poderes especiais e superiores aos de qualquer ser humano.

Que possamos nos ater nas verdades do Eterno e não voltar à lama de doutrinas contrárias às Sagradas Letras (II Pedro 02:22), pois mais bem intencionadas e rebuscadas que sejam (I Cor 02:05).

Misael Malagoli

NOTA No Tempo do Fim...

Um Erro leva à outro... Uma mentira traz outra! A partir do estabelecimento da IASD em cima de um erro (1844) surgiram "teorias" (ventos de doutrinas) para justificar  o erro. Depois disto com a advento da profetiza da que seria então a "igreja da profecia" mais um erro "profetizado" (quem deu a visão?): Cristo voltaria em 1851 e, portanto, a Porta estava fechada para quem não estivesse participado daquele movimento (1844). Mais um erro que, depois de muita manipulação e "sumiço" com textos destes dias posteriores à 1844, estabeleceu-se, oficialmente a IASD. Fundou-se uma igreja fundamentada especialmente em escritos de uma "luz menor" fortalecendo, e mantendo no medo, os seus seguidores com a possibilidade de não se passar neste Juízo de Investigação...

CLIC AQUI para ler um estudo sobre estes dias em que se acreditava - segundo as visões de EGW - que a Porta da Graça estava fechada e que a NINGUÉM mais seria permitido converter-se a Jesus!

CLIC AQUI para ler um estudo sobre o Regime Alimentar em que se condenava as pessoas que não aderiam ao Vegetarianismo e que justamente a autora de mais esta visão (fundamental e característica da IASD), EGW, não a praticava num claro "Faça o que Eu Digo e Não o que Eu Faço".

CLIC AQUI para fazer um Estudo sobre a Escatologia Final e ter uma surpresa sobre quantos Ventos de Doutrinas estão enraizados dentro de você... Este curso é fundamental para que você possa cortar o seu Cordão Umbilical com o erro!

 

RETORNAR